O PPGHIS conta com uma única Área de Concentração (Sociedade, Política e Cultura) e as seguintes Linhas de Pesquisa:

 

História Cultural, Memórias e Identidades

A Linha de Pesquisa "História Cultural, Memórias e Identidades" privilegia o estudo das representações e práticas culturais que atribuem sentidos e significados ao mundo. À luz de epistemologias críticas às metanarrativas históricas eurocêntricas, universalistas, racistas e sexistas, as pesquisas desenvolvidas nessa LP priorizam a desconstrução e a descolonização, de tal modo de ler e de dar a ler o mundo, de conferir inteligibilidade às experiências históricas. As abordagens produzidas nesse campo se abrem também à interdisciplinaridade, ampliando a compreensão da historicidade das representações e imaginários sociais produzidos e veiculados sob diversas linguagens em diferentes espaços e temporalidades, especialmente em narrativas orais, imagéticas, cinematográficas, midiáticas, musicais, literárias, virtuais, judiciais, historiográficas e didáticas. As pesquisas em desenvolvimento nesta linha contemplam os seguintes eixos temáticos: gênero e interseccionalidades; identidades diaspóricas e racismo; experiências, memórias e identidades em regimes de exceção; memória, patrimônio e cidade; discurso, poder e subjetivação; cultura histórica e historiografia; cultura escolar e ensino de história.

Orientadores: Anderson Ribeiro Oliva, Cláudia Costa Brochado, Diva do Couto Gontijo Muniz, Edlene Oliveira Silva, Eloísa Pereira Barroso, Maria Fernanda Derntl, Mateus Gamba Torres, Susane Rodrigues de Oliveira.

 

História Social e suas múltiplas formas

As investigações reunidas no âmbito desta linha de pesquisa privilegiam as variadas possibilidades de desenvolver estudos inspirados na história social. Nesse sentido, a linha explora abordagens, metodologias e temas diversos voltados para o interesse comum de estudar práticas e experiências sociais coletivas e individuais. Dedica especial atenção aos modos e estratégias por meio das quais sujeitos históricos politizavam seu cotidiano, informados por racionalidades, práticas culturais e econômicas próprias, bem como enfrenta debates clássicos sobre agência histórica em relação, ou oposição, a estudos fundamentados em determinações contextuais e estruturais. Ao privilegiar trabalhos centrados na ação humana, em escalas de análise macro ou micro, enfatiza abordagens de conflitos sociais definidos por viés de classe, gênero, etnia ou raça.

Orientadores: Ana Flávia Magalhães Pinto, André Cabral Honor, Bruno Leal Pastor de Carvalho, Jonas Wilson Pegoraro, Luiz Paulo Ferreira Nogueról, Marcelo Balaban, Marcos Aurélio de Paula Pereira,

 

Ideias, Historiografia e Teoria

Esta linha de pesquisa compreende investigadores que se dedicam ao estudo histórico de fenômenos associados à produção gráfica, à configuração material, à circulação e à recepção de ideias, bem como à análise das práticas, estruturas e espaços sociais a elas associados. Considerando-se esse escopo temático, a Linha de Pesquisa abriga pesquisas relacionadas às mais diferentes épocas e sociedades, favorecendo enfoques transculturais e interdisciplinares. No vasto campo dos fenômenos e práticas intelectuais, a Linha privilegia decisivamente aqueles de natureza historiográfica. "Historiografia" é aqui entendida não só como o conjunto das ideias, interpretações e textos produzido pelo grupo intelectual particular dos historiadores e historiadoras, mas também, em sentido amplo, como todo e qualquer produto intelectual em que se manifestem articulações interpretativas entre passado, presente e futuro. Dessa forma, o termo aponta para variados modos de conexão entre "campos de experiências" e "horizontes de expectativas" e para o âmbito abrangente da historicidade, um domínio que sabidamente não é exclusivo da disciplina histórica, sendo por esta compartilhado com as artes, a literatura, a filosofia e as demais ciências humanas. Nesse sentido, são favorecidas pesquisas referentes à história das diferentes tradições historiográficas, entendidas, mais uma vez, em sentido amplo.

Orientadores: André Gustavo de Melo Araújo, Arthur Oliveira Alfaix Assis, Daniel Barbosa Andrade de Faria, Estevão Chaves de Rezende Martins, Luiz César de Sá.

 

Política, Instituições e Relações de Poder

A concepção de história política desta Linha de Pesquisa estende-se a diversas temporalidades e espaços, por meio dos discursos e do próprio exercício do poder.  No tocante à contemporaneidade, reconhece-se no Estado e nas instituições um objeto privilegiado de estudo, mas sem descurar a importância de outras instâncias de poder, que interagem com as formas estatais, tanto pela via da cooperação como pela concorrência, oposição e resistência. Nas dinâmicas do poder, consideram-se ainda a interferência das relações de gênero e das relações interpessoais. No que diz respeito às sociedades pré-contemporâneas, os integrantes da Linha de Pesquisa se debruçam sobre a pluralidade jurídica/política das formações históricas, sobre as múltiplas manifestações do poder e as configurações da autoridade pública, sobre o entrelaçamento entre a dimensões temporal e espiritual dos modelos políticos.

Orientadores: Carlos Eduardo Vidigal, Francisco Doratioto, Henrique Modanez de Sant'Anna, José Luiz de Andrade Franco, Maria Filomena Pinto da Costa Coelho, Teresa Cristina Novaes Marques, Vicente Dobroruka, Virgílio Caixeta Arraes.